Dicas sobre Pragas e doenças

Pragas e doenças

Pulgões

Os pulgões agem como os ácaros e multiplicam-se com extrema facilidade, formando colônias numerosas que em pouco tempo podem sugar a seiva de uma orquídea, debilitando-a.

Eles sugam a seiva de hastes novas e de botões florais. São capazes de acabar com uma bela floração em poucos dias. Aparecem nas folhas das orquídeas deixando uma substância pegajosa. Possuem aspecto de pequenos algodões.

Algumas opções para acabar com essa praga:

  • Passar óleo de neem (absolutamente natural).
  • Usar cotonete para matar os pulgões – passar em cima dos pulgões para matá-los.
  • Jogar um esguicho forte de água em cima deles, com o intuito de remove-los.
  • Usar fumo de rolo. Ferva 100g de fumo de rolo picado em 1,5 litro de água. Acrescente uma colher de chá de sabão de coco em pó. Espere esfriar e borrife sobre as plantas infectadas. É importante ferver o fumo, para acabar por possíveis vírus.
  • Usar inseticida leve para horticultura, diluído em água.

Ácaros da aranha.
Constroem teias minúsculas que costumam ficar na parte inferior das folhas. Causam manchas amarelas.

Podem ser controlados com um spray leve de óleo hortícula ou sabão inseticida diluído em água. São facilmente encontrados em qualquer loja para jardinagem.

Fungos
Um perigo para as orquídeas, costumam aparecer em clima  chuvoso ou úmido e alta temperatura. Espalham-se rapidamente, se não forem devidamente tratados.


A folhagem infectada deve ser removida usando uma navalha esterilizada e também pulverizando-a com um bom fungicida.

Botrytis
Causam manchas marrons. São comuns em plantas em ambientes frios e úmidos. As manchas não saem, porém pode-se evitar sua propagação isolando a sua orquídea de outras plantas da casa.

Mantenha sempre sua planta em local ventilado. Regue-a pela manhã para as raízes terem tempo de secar ao anoitecer. Você pode usar um fungicida para ajudar a prevenir futuros surtos, seguindo as instruções do fabricante.

Cochonilhas
As cochonilhas são insetos que sugam a seiva das plantas e podem ou não ser protegidos por uma carapaça. Alguns são muito pequenos, menores do que a cabeça de um fósforo, outros bem grandinhos, do tamanho de pequenas moedas. Costumam aparecer em plantas que estão muito próximas umas das outras, onde não há boa ventilação, muita umidade ou deficiência de nutrientes. Há muitas espécies, mas as mais conhecidas são a cochonilha-branca (Pseudococcus praelonga), o pulgão-branco (Icerya purchasi), a cochonilha-de-carapaça (Coccus hesperidum), a cochonilha-cabeça-de-prego (Chrysomphalus spp), e a cochonilha-de-placa (Orthezia praelonga) e a cochonilha-escama-vírgula (Mytilococcus beckii). As cochonilhas que têm carapaça costumam ser mais difíceis de matar (e de detectar) porque possuem uma cera na casca que dificulta a ação dos inseticidas. Além de sugar a seiva de caules, brotos e folhas, causando manchas amarelas, esses insetos contaminam a planta com vírus e ainda atraem formigas. Portanto, fique atento: se notar muitas formigas em suas plantas sem que nenhuma folha tenha sido cortada, pode procurar debaixo das folhas que irá encontrar cochonilhas.

Para eliminar as cochonilhas, borrife óleo de neem ou qualquer outro óleo mineral diluído na proporção de 5 ml de óleo (uma colher de sopa) para 1 litro de água. Importante: não aumente a proporção de óleo nem borrife a mistura nas horas de sol mais quente, caso contrário, você vai “fritar” sua planta!

Fontes:
American Orchid Society
Minhasplantas


Imagens Google search

Link recomendado:
Como evitar as pragas em orquídeas