Dicas sobre Origem e Histórias

Orquídeas brancas: dicas de decoração e cuidados

orquídeas brancas

As tradicionais orquídeas brancas são provavelmente as campeãs quando o objetivo é encontrar sofisticação e o sentimento de permanência. Comumente associada à inocência, a cor branca traz um sentimento de paz e espiritualidade que, aliado à forma da Phalaenopsis, torna esta flor um presente perfeito para momentos como recepções, casamentos e bodas.

Quando se diz que as orquídeas brancas promovem o significado de virgindade e pureza, muitas pessoas não entendem que o conceito é muito mais amplo do que qualquer relação religiosa. É importante compreender que estas flores enaltecem um sentimento positivo, e não um princípio antiquado. Se nos lembrarmos da lenda da orquídea, podemos perceber que a ideia de pureza está muito mais vinculada ao amor incondicional. E não à toa essa flor é altamente sugerida em cerimônias que buscam unir um casal que se ama verdadeiramente.

Como utilizar as orquídeas brancas

Seja como buquês ou decoração de cerimônias de casamento, as orquídeas brancas estão entre as flores preferidas das noivas . Bodas de casamento e renovação de votos também são cerimônias que combinam com esse tipo de flor. Mas não é só nestes tipos de celebração que as orquídeas brancas podem se transformar em enfeites de encher os olhos.

Jantares em geral costumam ser momentos que combinam com as orquídeas brancas. Recepções de formatura ou até mesmo de aniversário combinam com estas flores, especialmente se for uma cerimônia diurna ou focada em luzes e decoração de cor clara. Um pequeno arranjo em cada mesa, e nada mais será necessário para dar um toque de requinte à decoração. Por fim, outra situação que pode combinar perfeitamente com as orquídeas de cor branca é a cerimônia de ano novo. Não há nada melhor que apostar na cor branca e na delicadeza das Phalaenopsis para comemorar com sofisticação a chegada de um novo ano (veja algumas dicas e inspirações de decoração para eventos).

 

Como cuidar de orquídeas brancas

O cuidado necessário para as orquídeas brancas é o mesmo de todas as outras cores. Água em quantidade moderada para não “afogar” as flores, acréscimo de adubo eventual e cuidados especiais ao fim da florada são alguns deles. Escolha chips de fibra de coco, musgo ou carvão como substrato; prefira vasos de barro, e preste atenção na coloração da raiz, que deve estar com tonalidade verde para indicar boa hidratação.  Quer saber mais? Acesse nosso artigo sobre os cuidados com orquídeas em diferentes épocas do ano!

Orquídeas azuis: significado, curiosidades e como cuidar

Orquídeas azuis: significado, curiosidades e como cuidar

Ela encanta os nossos olhos com sua beleza estonteante e ainda embeleza qualquer local por onde passa. As orquídeas azuis são uma das flores mais procuradas aqui no Sítio Kolibri, e por isso merecem cuidados e informações especiais. Afinal, por que será que nos encantamos tanto com estas flores?

 

Como surgiram as orquídeas azuis

Diferente de todas as outras orquídeas, as de coloração azul não são encontradas na natureza. Elas surgiram a partir de uma nova tecnologia. De origem holandesa e patenteada, ela se baseia em uma técnica de infusão de tinta azul no caule de uma orquídea Phalaenopsis que é originalmente de coloração branca. Ao receber essa aplicação de tinta azul, a planta passa a colorir suas flores. A técnica não causa nenhum mal às orquídeas, e após o fim da florada, as flores seguintes voltarão a ser brancas.

Mas, afinal, porque ficamos tão fascinados pelas orquídeas azuis? Isso tem a ver com algumas coisas que o azul nos remete.

tamanho certo de orquídea

Significado da cor azul

Além de não ser uma cor muito comum na natureza – e inexistente em todas as espécies de orquídeas  – o azul é uma cor que favorece o exercício intelectual e tranquiliza por meio de seu efeito calmante. Associada à serenidade e harmonia, a cor azul também promove a diminuição da circulação sanguínea, redução da temperatura do corpo e da pressão arterial. Justamente por isso, as orquídeas azuis costumam ser muito associadas a ambientes de recuperação e são ótimos presentes com desejos de melhoras.

Devido à delicadeza da Phalaenopsis associada à coloração azulada, a orquídea Blue Mystique também é muito associada à feminilidade. Por isso, costumam ser usadas como presentes românticos, tornando-se uma forma de embelezar momentos especiais em relacionamentos.

 

Como cuidar das orquídeas azuis

É necessário ter atenção para alguns cuidados especiais:

– Regar de uma a duas vezes por semana, seja acrescentando pedras de gelo ou acrescentando água e deixando escorrer por 15 segundos, para assegurar que estejam molhadas. Antes disso, é importante verificar sempre se a raíz está molhada, para evitar que a planta se “afogue”.

– Manter em local bem ventilado e sem sol direto.

– Adubar a cada 3 ou 4 semanas com fertilizantes de proporção 10-10-10.

– Sem expor ao calor extremo, dar preferência a janelas e espaços luminosos.

Com cuidados assim, orquídeas azuis podem ter flores por até 3 meses, embora o tempo de florada possa variar bastante, sendo 30 dias o tempo médio mínimo.

A Lenda da Orquídea

A lenda de Hoan-Lan é chamada popularmente de “lenda da orquídea” especialmente na cultura ocidental, e faz sentido que tenha surgido na Indochina: apesar de haver orquídeas em todos os continentes, são as de origem asiática – como a Phalaenopsis – que mais conquistaram o gosto do público graças à beleza e delicadeza que apresentam.

 

A lenda de Hoan Lan

Conta-se que na cidade de Anam (em um território que provavelmente seria o Vietnã nos dias de hoje) vivia uma belíssima jovem chamada Hoan Lan, que era adorada por muitos homens devido à sua graciosidade. Entre eles, destacou-se Kien-Fu, que trabalhou com grande paciência para produzir as mais belas peças de jade e ouro, e a presenteou, esperando ter seu amor correspondido. No entanto, ela se enfeitou com as peças para em seguida desprezá-lo, assim como fazia com todos os homens: aproveitava-se da paixão deles para depois agir com frieza e desprezo.

Depois que Kien-Fu se suicidou, jogando-se no Rio Vermelho, o poderoso Deus das Sete Flechas, que a tudo via, decidiu que deveria castigar a maldade de Hoan Lan. Então, ele fez com que ela se apaixonasse perdidamente por Mun-Say, homem que não se importava com a beleza de Hoan Lan e era apaixonado por outra mulher.

Após o feitiço fazer efeito, a jovem ficou desesperada por não ter seu amor correspondido, chegando a pedir ajuda a outros deuses, e acabou encontrando-se com uma bruxa de pés de cabra. A bruxa fez uma proposta: que ela vendesse sua alma a ela, em troca de vingar-se do desamor de Mun-Say: se ele não se apaixonasse pela jovem, ao menos não se apaixonaria por nenhuma outra mulher. Desesperada, ela aceitou.

Após poucos dias, a jovem encontrou-se com Mun-Say e o abraçou na expectativa de ter seu amor correspondido. Mas devido ao feitiço da bruxa, ele se transformou em uma árvore. Essa seria a forma que a bruxa encontrou de fazer com que o homem não se apaixonasse por mais ninguém.

Sem conseguir fazer com que a bruxa desfizesse o feitiço, Hoan Lan abraçou a árvore e lá permaneceu por tanto tempo que despertou a compaixão de um poderoso gênio, que decidiu protegê-la antes que a bruxa levasse a alma dela.

Colocando a mão sobre a testa da jovem, agora perdidamente apaixonada, o gênio concedeu-lhe o perdão por tudo o que fez, e prometeu que faria com que a bela jovem não se separasse do amado nunca mais. E foi então que o gênio transformou-a em uma flor que correspondesse àquilo que Hoan Lan tivera sido ao longo de sua vida: requintada e bela, porém caprichosa e volúvel. Os braços dela se tornaram raízes, que abraçariam a árvore para sempre e assim a manteriam unida ao amado. E então surgiu a primeira orquídea.

 

E assim termina a famosa lenda da orquídea, ou lenda de Hoan Lan.