Tudo que você quer saber sobre raízes aéreas

É só você começar a cultivar as suas orquídeas que logo começam a surgir algumas raízes subindo, saindo do vaso e apontando para todos os lados, certo? Muita gente se espanta com as famosas raízes aéreas e acha que precisa cortá-las, ou que elas devem ser ajeitadas para dentro do vaso! Mas isso não é verdade!

As raízes aéreas são comuns e se desenvolvem em praticamente todos os tipos de orquídeas, especialmente as Phalaenopsis!

Quer saber mais sobre as raízes aéreas? Confira algumas coisas que você precisa saber sobre elas:

 

Raízes aéreas coletam nutrientes:

Assim como as raízes que ficam escondidinhas, as raízes aéreas se aproveitam do fato de estarem em contato com o ar para absorver nutrientes que chegam com o vento e até mesmo a chuva, além da própria umidade do ar!

 

Elas possuem um tecido especial

É muito comum que as plantas epífitas (que se alojam nas outras sem atrapalhar o crescimento delas, como as orquídeas) tenham em suas raízes aéreas um tecido chamado de “velame”. Trata-se de um tipo de tecido que funciona como uma esponja, e que absorve os nutrientes. É comum que dentro desse tecido se aloje um tipo de fungo chamado micorriza. Mas não precisa se preocupar: quando esse fungo se aloja por lá, ele acaba ajudando a planta, pois decompõe a matéria orgânica, permitindo que a raiz absorva ainda mais nutrientes!

 

São geralmente cinzas e possuem a ponta verde

Por fim, é importante entender como é a cor das raízes aéreas: elas costumam ser cinzentas, diferente da típica raiz interna mais saudável, que costuma se manter verdinha. Note se a ponta das raízes aéreas não está verdinha: é lá que elas costumam manter a coloração. De qualquer forma, caso a raiz aérea tenha coloração esverdeada, pode ter certeza que ela também acumula a função de fazer fotossíntese, tal qual as folhas!