O verdadeiro motivo para o formato estranho das orquídeas

Você já se perguntou sobre os formato estranho das orquídeas?

A gente se acostumou com elas! Tanto as Phalaenopsis e sua forma que recorda uma borboleta ou mariposa quanto as outras espécies são muito diferentes da maioria das outras flores, que apenas possuem pétalas iguais em torno de um miolo. Mas se parar para observar, você vai ver que de fato esse formato estranho das orquídeas pode ser muito misterioso.

Afinal, por que as orquídeas desenvolveram esse formato? A resposta vem de um pesquisador, Dr. Mark W Chase. O cientista especializado em orquídeas pelo “Royal Botanic Gardens, Kew” de Londres, explica em uma matéria do site americano Selby Botanical Gardens, que elas são “primas” das flores da ordem “Asparagales”, que inclui espécies como narcisos, jacintos, íris e aspargos. Segundo ele, o que fez com que as orquídeas se diferenciassem das pétalas todas iguais dessa família foi um gene específico.

A estrutura incomum da orquídea permite que ela tenha uma parte chamada de labelo, e ainda possua sépalas laterais que se diferenciam das pétalas. O especialista conta que os genes florais que controlam o formato da flor são um só na maioria das espécies, como o jacinto. No entanto, nas orquídeas ocorreu uma duplicação desses genes, o que levou a criar o labelo. Foi a combinação de muitos genes e a duplicação de outros que permitiu com que as orquídeas desenvolvessem diversos formatos.

Mas então, por que houve tanta combinação genética diferente?

Segundo Chase, tudo está ligado à importância do labelo, que consegue atrair diversos tipos de polinizadores. A capacidade de mudar a forma que as orquídeas conquistaram fez com que elas recebessem polinizadores de outras plantas. Outras espécies de flores nem sempre conseguem atrair variados tipos de polinizadores, mas as orquídeas conseguem “enganar” os olhos dos insetos. Desta forma, o tipo de formato das várias espécies permitiu que, em geral, diversos polinizadores fossem até lá, “enganados” pelas orquídeas. É por isso que houve uma variedade de troca de pólens, que foi permitindo mais diferenciação genética ao longo dos milhões de anos que as orquídeas vivem no nosso planeta!

O especialista cita a orquídea mosca, por exemplo, que enganava as vespas devido ao seu formato. A flor, que encantou Charles Darwin em sua época justamente por ser parecida com um bicho, atraía as vespas macho, que acreditavam estar copulando com uma vespa fêmea, sem saber que estavam na verdade apenas polinizando flores diferentes.

Assim, é possível compreender por que existem tantos tipos de espécies de orquídeas: a polinização ocorre de forma muito mais rica e diferente. O estudo sobre o DNA das orquídeas permitiu ao Dr. Chase entender que as orquídeas podem datar de tempos ainda mais antigos do que se imaginava, passando os 110 milhões de anos!

Agora, quando alguém perguntar sobre o formato estranho das orquídeas, você pode dizer que é porque houve uma duplicação de genes que criou pétalas diferentes, e a partir disso os insetos colaboraram para ainda mais mudanças genéticas entre elas!

Para saber mais sobre: Anatomia e botânica das Orquídeas