Posts com a tag Phalaenopsis

Decoração para casamento: como pensar nas melhores orquídeas

Você já deve ter visto aqui no blog um texto sobre decoração para casamento: “Orquídeas exóticas para enfeitar a igreja e a festa de casamento“. O texto inspira bastante quem busca uma boa decoração para casamento, mas ainda tem muita gente que sequer sabe como começar a pensar nas orquídeas Phalaenopsis para esse fim.

 

Primeiro, é muito importante entender que trata-se de uma escolha cuidadosa, ainda que infalível. Cuidadosa porque as orquídeas Phalaenopsis exigem cuidados detalhados para não se perderem no transporte e no trabalho de montagem da decoração. Infalível porque não tem decoração que perca o brilho diante da beleza das flores.

 

No entanto, antes de escolher a melhor decoração para casamento, é importante se fazer algumas perguntas para definir a melhor escolha de flores e de cores para decorar o casamento:

 

1- Minha festa será sofisticada?

A decoração para casamento deve combinar com o objetivo da festa. E as orquídeas Phalaenopsis trazem um ar de requinte e sofisticação que deve combinar com o restante da cerimônia. Canapés e espumantes são opções do cardápio que podem combinar com a presença de orquídeas. Pensar nisso é importante para combinar muito bem a escolha das flores com o ambiente que será criado.

 

2- Meus convidados devem ter uma noite inesquecível?

Existem festas de casamento bonitas e simples… e existem noite inesquecíveis. Qual é o objetivo da sua festa de casamento? A presença de orquídeas combina com noites empolgantes e festas longas. Por isso, se o seu objetivo é fazer com que familiares e amigos guardem a sua festa na memória, então as Phalaenopsis serão muito bem vindas!

 

 

3- Meu comportamento combina com um ambiente requintado?

Muitos noivos se esquecem disso: a festa precisa combinar com o estilo deles. E o mesmo deve ser considerado sobre a decoração para casamento. Muitos casais requintados, que mereceriam Phalaenopsis na decoração, acabam perdendo a oportunidade porque não se dão conta de que suas personalidades combinam com orquídeas e com uma decoração refinada.

 

4- Qual a cor preferida dos noivos?

Embora as orquídeas brancas sejam consideradas “infalíveis” em uma decoração para casamento, a escolha das cores possíveis deve combinar com a preferência dos noivos. Isso não significa que elas devam ser exatamente da mesma cor, mas podem ser complementares. Quer um exemplo? Imagine que o noivo gosta de azul e tenha escolhido esta cor para a gravata – ou até mesmo o terno! – e a noiva prefira o vermelho, sendo que incluirá essa cor em algum elemento da decoração. Neste caso, as orquídeas amarelas podem ser uma escolha perfeita, formando uma tríade de cores complementares. Se o casal optar por combinar cores quentes à decoração da festa, como o laranja, por exemplo, talvez seja uma ótima oportunidade de incluir as orquídeas azuis – cujos tons se aproximam da cor violeta, que é complementar ao laranja.

 

Assim fica mais fácil para o casal definir um norte na sua decoração para casamento. As escolhas que serão feitas depois, como a da comida e da bebida, ficarão muito mais fáceis.

 

Mais inspirações, corre lá no nosso Pinterest! https://br.pinterest.com/sitiokolibri

Como enfeitar a sala: combine orquídeas com outros elementos

Como enfeitar a sala: dicas de decoração com orquídeas Phalaenopsis

Não existe uma regra: as possibilidades de como enfeitar a sala com orquídeas são tantas, que basta um pouco de criatividade e pesquisa sobre decoração para definir a melhor combinação de cores e estilos. E justamente diante de tantas opções é que muitos pedem por dicas e sugestões. Afinal, de onde devemos partir para escolher a melhor opção? A primeira coisa que deve ser levada em conta é a iluminação: como as orquídeas exigem luz do sol, é importante que a sala tenha abertura para receber a luz de fora! Dependendo da casa, esse tipo de definição já fecha algumas possibilidades de local para colocar o vaso.

 

Confira algumas dicas de como enfeitar a sala com orquídeas:

 

Orquídeas rosas com móveis marrons e ambiente rural

Algumas salas acabam tendo um ar que remete à vida na fazenda, especialmente quando os móveis vêm de antiquários. Pesadas mesas de centro, aparadores de madeira antiga, e até mesmo estantes herdadas dos avós são exemplos de peças que combinam com orquídeas rosas.

 

Orquídeas  amarelas e uma parede azul!

Quer um ambiente claro, iluminado e ao mesmo tempo criativo? Então pode ser uma ótima ideia combinar orquídeas amarelas (ou de coloração amarelada) com a cor azul. Cada vez mais as pessoas optam por deixar uma parede com uma cor diferente das outras do mesmo cômodo. Se a ideia é essa, a sugestão é que a parede de um lado da sala seja pintada com a coloração azul e, em cima de um aparador, basta acrescentar uma Phalaenopsis amarela.

 

Abuse das cores!

Se você quer que a sua sala possa ter orquídeas de qualquer cor, incluindo aquelas azuis que você comprou e as bicolores que ganhou, então aproveite para deixar sua sala inteiramente colorida! Cadeiras, sofás e almofadas podem ter cores das mais variadas! Apenas evite cores escuras e prefira as de tonalidade clara! Com isso, qualquer opção de Phalaenopsis vai cair como uma luva.

 

Orquídeas brancas:

Se os móveis da sala são pretos e carregam tons mais escuros, então as Phalaenopsis brancas vão criar uma combinação perfeita com o ambiente. Dependendo de como o vaso é colocado,  os móveis permitem que a beleza das flores brancas se destaquem. Para fazer um balanço equilibrado, é interessante optar por alguns enfeites que também sejam brancos. As cores prata e cinza também podem fazer parte da harmonia na decoração.

Como escolher as melhores orquídeas para presente

Orquídeas para presente: como escolher?

Não tem jeito: uma das formas infalíveis de acertar em um presente é dando orquídeas. Afinal, estas flores são encantadoras e curiosas, capazes de amolecer os mais brutos e encantar os mais emotivos. Mas como escolher orquídeas para presente?

 

Existem alguns pontos que devem ser considerados.

Confira detalhes e sugestões do que devem ser levados em consideração antes de uma comemoração que mereça um presente.

 

1- Observe a saúde da planta

As folhas estão devidamente verdes? As raízes possuem espaço para respirar? É importante estar atento aos pequenos sinais de má saúde das orquídeas: folhas enrugadas e moles, presença de pulgões, manchas de fungo nas folhas, manchas marrons nas pétalas das flores e hastes moles são indícios de que a saúde da planta não anda bem. De fato, é raro encontrar orquídeas para presente em más condições nas floriculturas e lojas especializadas, mas é importante atentar a esses detalhes.

2- Pense de antemão no local para colocar o vaso

Se você conhece bem a pessoa presenteada, provavelmente consegue imaginar onde ela pode colocar o vaso de orquídeas. A espécie Phalaenopsis, especialmente, precisa de bastante luminosidade, mas não pode receber sol direto. Se seu amigo, colega ou familiar que receberá orquídeas Phalaenopsis de presente não tem um espaço apropriado à primeira vista, vale a pena ser criativo e pensar no melhor local para que a flor seja exibida: um espaço comum do condomínio, o escritório ou uma casa de veraneio podem ser ótimas opções.

Ruas floridas com orquídeas: transforme seu bairro!

 

3- O presenteado tem tempo e condições de cuidar?

Orquídeas são flores que exigem alguns cuidados. Não é necessário gastar muito tempo da rotina para regar e dar atenção, mas alguns minutos são importantes. No entanto, caso o presenteado seja uma pessoa ocupada e repleta de afazeres, um vaso de Phalaenopsis pode ser uma ótima ideia, já que cuidar de uma planta pode ser a oportunidade de fazer os mais ocupados admirarem a beleza da natureza e os pequenos prazeres de uma pausa no cotidiano. Considerando que a rega não precisa ultrapassar a frequência de uma vez por semana, e a maior frequência indicada para adubação é uma vez por mês, então é uma atividade que pode ser incluída mesmo na rotina dos mais atarefados.

 

4- Procure a cor de orquídeas que mais combina

Outro ponto importante é escolher a melhor cor da Phalaenopsis que será dada de presente. Pessoas ousadas merecem as linhas de coloração azul ou verde, que fogem do padrão e chamam atenção. Pessoas mais românticas ou leves podem preferir coloração rosa ou orquídeas de coloração manchada. As amarelas podem combinar com quem é mais ambicioso, e as Phalaenopsis brancas são bastante versáteis e podem funcionar com a maioria das pessoas. Desse jeito, não é tão difícil definir orquídeas para presente!

Espécies de orquídeas e diferenças entre elas

espécies de orquídeas

Quais são as espécies de orquídeas mais procuradas? E quantas espécies de orquídeas existem?

Se você já se perguntou isso, é porque já sabe que as Phalaenopsis, nossa especialidade no sítio Kolibri, não são as únicas orquídeas que existem. Na verdade, a família Orchidaceae, que reúne todas as plantas classificadas com o nome de orquídea, é a maior família de plantas angiospermas (aquelas que dão flores) do mundo. Segundo o World Checklist of Selected Plant Families, existem 26.567 espécies de orquídeas listadas. Muitas, não?

É claro que, com tantas espécies diferentes, é quase impossível conhecer todas elas. E algumas podem ser muito raras. Por isso, decidimos listar as espécies de orquídeas mais comuns em jardins, para que você possa conhecer um pouco sobre elas.

 

Phalaenopsis

espécies de orquídeas - Phalaenopsis

É claro que não poderíamos começar com outro tipo! As Phalaenopsis se destacam por encantar aos olhos de todos os gostos e preferências. O formato de borboleta fez com que elas ganhassem muita atenção como plantas ornamentais. É por isso elas se tornaram as orquídeas mais populares, admiradas até mesmo por quem pouco entende de plantas e flores. As Phalaenopsis se destacam, acima de tudo, por se adequarem facilmente a ambientes fechados, como salas de estar, desde que recebam iluminação solar em abundância. Elas também ganharam o gosto do público por exigirem cuidados razoavelmente simples, ao contrário das necessidades complicadas de muitas outras orquídeas ornamentais.

 

Orquídea Brassia Verrucosa

espécies de orquídeas - Brassia Verrucosa

Facilmente identificada pelas pétalas finas que lembram um grande aracnídeo, a Brassia Verrucosa surgiu na América Central, prefere climas mais quentes e precisa ser criada na meia-sombra.

 

Orquídea Chuva de Ouro

espécies de orquídeas - Chuva de Ouro

Geralmente de coloração amarela com variações em branco, rosa e alaranjado, esta planta é cultivada com facilidade, desde que receba a quantidade certa de sol. Costuma ter floração perene.

 

Orquídea Mini-chocolate

espécies de orquídeas - Mini-chocolate

Famosa por ter pétalas com cor de chocolate, esta espécie pode até tomar um pouco de sol direto, mas deve ser colocada na sombra nos momentos em que o sol é mais forte.

 

Orquídea Brasileira Maxilaria

espécies de orquídeas - Brasileira Maxilaria

Conhecida pelos detalhes das manchas que geralmente estão em todas as pétalas, esta espécie é originária do território brasileiro.

 

Orquídea Olho-de-boneca

espécies de orquídeas - Olho de boneca

Originária da China, Índia e Malásia, a “olho-de-boneca” exige uma quantidade muito específica de sol, demandando um certo esforço de onde se deve colocar o vaso. Destacam-se pelas cores fortes que apresenta.

 

Orquídea Cattleya Intermedia

espécies de orquídeas - Cattleya Intermedia

Popular e resistente a amplas variações de temperatura, a Cattleya exige um cuidado grande com o tempo de exposição ao sol: em excesso, pode queimar, mas mesmo assim exige muita luminosidade, podendo tomar sol direto pela manhã.

 

Orquídea Rodriguezia

espécies de orquídeas - Rodriguezia

Famosa pelo tamanho pequeno e pelas manchas que apresenta em suas pétalas , esta espécie demanda 60% de sombra e exige adubação ou reposição de nutrientes após a florada, comum no outono ou inverno.

 

Orquídea Cimbido

espécies de orquídeas - Cimbido

Também comum nos jardins, esta espécie de orquídea não consegue dar flores em climas muito quentes, mas se destaca por ter conquistado uma certa popularidade.

Orquídeas brancas: dicas de decoração e cuidados

orquídeas brancas

As tradicionais orquídeas brancas são provavelmente as campeãs quando o objetivo é encontrar sofisticação e o sentimento de permanência. Comumente associada à inocência, a cor branca traz um sentimento de paz e espiritualidade que, aliado à forma da Phalaenopsis, torna esta flor um presente perfeito para momentos como recepções, casamentos e bodas.

Quando se diz que as orquídeas brancas promovem o significado de virgindade e pureza, muitas pessoas não entendem que o conceito é muito mais amplo do que qualquer relação religiosa. É importante compreender que estas flores enaltecem um sentimento positivo, e não um princípio antiquado. Se nos lembrarmos da lenda da orquídea, podemos perceber que a ideia de pureza está muito mais vinculada ao amor incondicional. E não à toa essa flor é altamente sugerida em cerimônias que buscam unir um casal que se ama verdadeiramente.

Como utilizar as orquídeas brancas

Seja como buquês ou decoração de cerimônias de casamento, as orquídeas brancas estão entre as flores preferidas das noivas . Bodas de casamento e renovação de votos também são cerimônias que combinam com esse tipo de flor. Mas não é só nestes tipos de celebração que as orquídeas brancas podem se transformar em enfeites de encher os olhos.

Jantares em geral costumam ser momentos que combinam com as orquídeas brancas. Recepções de formatura ou até mesmo de aniversário combinam com estas flores, especialmente se for uma cerimônia diurna ou focada em luzes e decoração de cor clara. Um pequeno arranjo em cada mesa, e nada mais será necessário para dar um toque de requinte à decoração. Por fim, outra situação que pode combinar perfeitamente com as orquídeas de cor branca é a cerimônia de ano novo. Não há nada melhor que apostar na cor branca e na delicadeza das Phalaenopsis para comemorar com sofisticação a chegada de um novo ano (veja algumas dicas e inspirações de decoração para eventos).

 

Como cuidar de orquídeas brancas

O cuidado necessário para as orquídeas brancas é o mesmo de todas as outras cores. Água em quantidade moderada para não “afogar” as flores, acréscimo de adubo eventual e cuidados especiais ao fim da florada são alguns deles. Escolha chips de fibra de coco, musgo ou carvão como substrato; prefira vasos de barro, e preste atenção na coloração da raiz, que deve estar com tonalidade verde para indicar boa hidratação.  Quer saber mais? Acesse nosso artigo sobre os cuidados com orquídeas em diferentes épocas do ano!

Orquídeas azuis: significado, curiosidades e como cuidar

Orquídeas azuis: significado, curiosidades e como cuidar

Ela encanta os nossos olhos com sua beleza estonteante e ainda embeleza qualquer local por onde passa. As orquídeas azuis são uma das flores mais procuradas aqui no Sítio Kolibri, e por isso merecem cuidados e informações especiais. Afinal, por que será que nos encantamos tanto com estas flores?

 

Como surgiram as orquídeas azuis

Diferente de todas as outras orquídeas, as de coloração azul não são encontradas na natureza. Elas surgiram a partir de uma nova tecnologia. De origem holandesa e patenteada, ela se baseia em uma técnica de infusão de tinta azul no caule de uma orquídea Phalaenopsis que é originalmente de coloração branca. Ao receber essa aplicação de tinta azul, a planta passa a colorir suas flores. A técnica não causa nenhum mal às orquídeas, e após o fim da florada, as flores seguintes voltarão a ser brancas.

Mas, afinal, porque ficamos tão fascinados pelas orquídeas azuis? Isso tem a ver com algumas coisas que o azul nos remete.

tamanho certo de orquídea

Significado da cor azul

Além de não ser uma cor muito comum na natureza – e inexistente em todas as espécies de orquídeas  – o azul é uma cor que favorece o exercício intelectual e tranquiliza por meio de seu efeito calmante. Associada à serenidade e harmonia, a cor azul também promove a diminuição da circulação sanguínea, redução da temperatura do corpo e da pressão arterial. Justamente por isso, as orquídeas azuis costumam ser muito associadas a ambientes de recuperação e são ótimos presentes com desejos de melhoras.

Devido à delicadeza da Phalaenopsis associada à coloração azulada, a orquídea Blue Mystique também é muito associada à feminilidade. Por isso, costumam ser usadas como presentes românticos, tornando-se uma forma de embelezar momentos especiais em relacionamentos.

 

Como cuidar das orquídeas azuis

É necessário ter atenção para alguns cuidados especiais:

– Regar de uma a duas vezes por semana, seja acrescentando pedras de gelo ou acrescentando água e deixando escorrer por 15 segundos, para assegurar que estejam molhadas. Antes disso, é importante verificar sempre se a raíz está molhada, para evitar que a planta se “afogue”.

– Manter em local bem ventilado e sem sol direto.

– Adubar a cada 3 ou 4 semanas com fertilizantes de proporção 10-10-10.

– Sem expor ao calor extremo, dar preferência a janelas e espaços luminosos.

Com cuidados assim, orquídeas azuis podem ter flores por até 3 meses, embora o tempo de florada possa variar bastante, sendo 30 dias o tempo médio mínimo.

6 cuidados básicos para cuidar bem da sua orquídea

É muito comum recebermos dúvidas sobre os cuidados básicos das orquídeas. Afinal, muita gente não tem o hábito de cuidar de plantas, mas depois de um aniversário ou até mesmo o dia das mães, por exemplo, é normal que as pessoas se vejam com uma planta nova para cuidar, e acabam precisando aprender, de forma simples e rápida, como cuidar de uma orquídea.

Pensando nisso, decidimos listar 6 cuidados básicos necessários para manter uma orquídea bonita e saudável. Imagine que, daqui a algum tempo, você vai receber novamente a visita de quem te deu a orquídea de presente. Seria muito gratificante mostrar que você cuidou bem da planta. Agora, imagine o contrário: se a planta definha, você corre o risco de pagar mico diante do convidado.

 

Por isso, confira os cuidados básicos para orquídeas em um guia simples e rápido:

 

1) Cuidados básicos com iluminação:

Muita gente comete o erro de colocar as orquídeas no sol. Mas quando entendemos que, na natureza, elas estão sempre abaixo das copas das árvores, podemos compreender que elas precisam estar em um local iluminado, porém sem luz solar direta. A Phalaenopsis também gosta luz artificial, desde que também haja iluminação indireta do sol.

 

 

2) Cuidados básicos com a rega:

Um dos grandes segredos para regar orquídeas é colocando 3 pedras de gelo no vaso, abaixo das folhas, uma vez por semana. Essa frequência pode ser um pouco maior no verão, e ser feita a cada quatro dias. O importante é que as pedras de gelo, além de manterem uma temperatura amena, gotejam a água e permitem uma absorção mais lenta, sem acumular água no vaso – isso seria mortal para elas! Caso não queira colocar gelo, você pode regar, mas sempre deixando a água escorrer, sem jamais acumular na parte de baixo das raízes.

 

3) Cuidados básicos com temperatura:

As orquídeas, especialmente as Phalaenopsis, gostam dos ambientes mais frescos e com boa ventilação. Aliás, elas são muito sensíveis ao sol direto e sequer conseguem se recuperar dos danos do sol: se for em excesso, as folhas vão sofrer queimaduras e cair.

 

4) Cuidados básicos com o corte das hastes:

Depois que as flores caem, é importante cortar as hastes que ficam secas. Caso não fiquem secas, não é necessário cortar – e provavelmente haverá uma nova florada. Você pode cortar a haste em sua base, deixando apenas 2 cm dela. Outra opção é cortar a haste logo acima da terceira gema (aquele “nó” que se forma) e com isso surgirá uma nova florada ou, talvez, uma nova muda.

5) Cuidados básicos para adubar as orquídeas:

Deve-se utilizar os adubos encontrados nas lojas especializadas com os nomes 10:10:10 ou 20:20:20. Isso significa que eles possuem as mesmas quantidades de nutrientes diferentes. Aplique o produto  uma vez por mês, e procure não adubar em época de floração.

6) Cuidados básicos com as raízes:

Quando as raízes estão bem hidratadas, elas apresentam uma coloração verde. Se estiverem brancas ou cinzentas, significa que precisam de água: se for o caso, coloque em uma bacia de água por dois minutos e depois retire, permitindo que a água escorra. Já as raízes cinzas e moles simbolizam excesso de rega. Muitas vezes, elas cheiram a mofo. O ideal é deixar sem rega nenhuma por cerca de 10 dias.

A Lenda da Orquídea

A lenda de Hoan-Lan é chamada popularmente de “lenda da orquídea” especialmente na cultura ocidental, e faz sentido que tenha surgido na Indochina: apesar de haver orquídeas em todos os continentes, são as de origem asiática – como a Phalaenopsis – que mais conquistaram o gosto do público graças à beleza e delicadeza que apresentam.

 

A lenda de Hoan Lan

Conta-se que na cidade de Anam (em um território que provavelmente seria o Vietnã nos dias de hoje) vivia uma belíssima jovem chamada Hoan Lan, que era adorada por muitos homens devido à sua graciosidade. Entre eles, destacou-se Kien-Fu, que trabalhou com grande paciência para produzir as mais belas peças de jade e ouro, e a presenteou, esperando ter seu amor correspondido. No entanto, ela se enfeitou com as peças para em seguida desprezá-lo, assim como fazia com todos os homens: aproveitava-se da paixão deles para depois agir com frieza e desprezo.

Depois que Kien-Fu se suicidou, jogando-se no Rio Vermelho, o poderoso Deus das Sete Flechas, que a tudo via, decidiu que deveria castigar a maldade de Hoan Lan. Então, ele fez com que ela se apaixonasse perdidamente por Mun-Say, homem que não se importava com a beleza de Hoan Lan e era apaixonado por outra mulher.

Após o feitiço fazer efeito, a jovem ficou desesperada por não ter seu amor correspondido, chegando a pedir ajuda a outros deuses, e acabou encontrando-se com uma bruxa de pés de cabra. A bruxa fez uma proposta: que ela vendesse sua alma a ela, em troca de vingar-se do desamor de Mun-Say: se ele não se apaixonasse pela jovem, ao menos não se apaixonaria por nenhuma outra mulher. Desesperada, ela aceitou.

Após poucos dias, a jovem encontrou-se com Mun-Say e o abraçou na expectativa de ter seu amor correspondido. Mas devido ao feitiço da bruxa, ele se transformou em uma árvore. Essa seria a forma que a bruxa encontrou de fazer com que o homem não se apaixonasse por mais ninguém.

Sem conseguir fazer com que a bruxa desfizesse o feitiço, Hoan Lan abraçou a árvore e lá permaneceu por tanto tempo que despertou a compaixão de um poderoso gênio, que decidiu protegê-la antes que a bruxa levasse a alma dela.

Colocando a mão sobre a testa da jovem, agora perdidamente apaixonada, o gênio concedeu-lhe o perdão por tudo o que fez, e prometeu que faria com que a bela jovem não se separasse do amado nunca mais. E foi então que o gênio transformou-a em uma flor que correspondesse àquilo que Hoan Lan tivera sido ao longo de sua vida: requintada e bela, porém caprichosa e volúvel. Os braços dela se tornaram raízes, que abraçariam a árvore para sempre e assim a manteriam unida ao amado. E então surgiu a primeira orquídea.

 

E assim termina a famosa lenda da orquídea, ou lenda de Hoan Lan.

Orquídeas Phalaenopsis: família, classificação e anatomia

Consideradas as mais delicadas entre todos os gêneros de orquídeas (o que significa que ainda são divididas em diferentes espécies), as Phalaenopsis se originaram em países do sudeste asiático – Tailândia, Filipinas, Indonésia, Malásia – além do sul da China, Taiwan, Nova Guiné, entre outros países próximos.

O termo Phalaenopsis se origina das palavras gregas Phálaina, que significa mariposa, e Opsis, que significa “parecido”. Ou seja, elas são chamadas assim porque fazem lembrar uma mariposa em pleno voo, criando uma imagem bela e delicada.

Para conhecer ainda mais sobre as orquídeas phalaenopsis, é importante conhecer um pouco mais sobre a família, classificação e a anatomia desta planta que tanto amamos.

 

Família:

Como já era de se esperar a família de plantas à qual pertencem as phalaenopsis é a Orchidaceae, ou simplesmente Orquídeas. Considerada uma das maiores famílias de plantas, com inúmeras variações de subfamílias, tribos e gêneros, as orquídeas são encontradas na natureza em todos os continentes do planeta (exceto a Antártida). Ao longo dos anos, todas elas foram ganhando destaque para uso ornamental devido às variações de cores, aromas e formatos nos quais se apresentam.

O único uso não ornamental encontrado em uma orquídea ocorre no gênero Vanilla, da qual se extraem pequenas vagens que dão origem a uma especiaria aromática que chamamos de Baunilha.

No total, foram calculadas cerca de 25 mil diferentes espécies da família das orquídeas, o que torna esta família a maior de todas as famílias botânicas.

 

Classificação:

As Phalaenopsis podem ser classificadas em dois grupos diferentes que chamamos de Padrão e Miniatura.

As Phalaenopsis padrão se caracterizam por possuírem caules longos e ramificados, que podem chegar a até 1 metro de altura. As flores são arredondadas e possuem tons de rosa ou branco.

Enquanto isso, as Phalaenopsis miniatura possuem caules curtos, que não passam dos 30 centímetros. As flores são menos arredondadas e mais cerosas, além de cores mais pronunciadas.

Os dois tipos de Phalaenopsis são considerados plantas epífitas, ou seja, aquelas que na natureza podem se localizar em cima de outras plantas ou árvores, mas sem afetar ou causar danos ao hospedeiro – ao contrário das plantas e animais tidos como parasitas.

 

Anatomia:

As orquídeas Phalaenopsis são consideradas Monopodiais. Isso significa que um único rizoma, oriundo de uma única “fonte” da raiz, possibilita o crescimento de diversos caules capazes de gerar flores – outros gêneros costumam ser simpodiais, que geral diferentes pontos de raízes, que por si gerarão um só caule.

Confira as partes que integram as orquídeas Phalaenopsis:

 

– Raiz: fixa a planta ao substrato e é responsável por absorver os nutrientes necessários.

– Caule principal: um único caule que se origina da raiz, e que abre espaço para o surgimento de novas hastes sempre que for florescer novamente.

– Haste: é a “casa da flor”, que surge a partir do caule.

– Raiz aérea:outro tipo de raiz que absorve umidade e nutrientes do ar.

– Folha: também responsável pela “respiração” e alimentação da planta, as folhas das Phalaenopsis possuem furos minúsculos chamados de estômatos, e que são os responsáveis por manter a planta “respirando” e absorvendo energia da luminosidade solar.

– Cápsula ou botão: a flor em seus estágios iniciais de desenvolvimento.

– Flor: o verdadeiro motivo pelo qual cultivamos a planta, a flor de uma Phalaenopsis (e da maioria dos gêneros de orquídeas) pode ser dividida em diferentes partes. Algumas são muito fáceis de identificas:

  • Sépala Dorsal: a “pétala” apontada para cima.
  • Pétalas: as “asas da mariposa”.
  • Sépalas Laterais: semelhantes à sépala dorsal, mas voltadas para baixo.
  • Labelo: parte da flor que forma um arco

 

Pronto. Agora você conhece muito mais sobre as orquídeas Phalaenopsis.

Substrato para Orquídeas: Carvão, Chips de Fibra de Coco ou Musgo, qual é melhor?

Se formos pensar o que é o melhor substrato para orquídeas, podemos levar em consideração que precisam de umidade na medida certa, mas também espaço para arejar e nutrientes para crescer forte e dar flores lindas, certo?

 

Então, para isso, sua escolha não tem que ser carvão ou fibra de coco, ou musgo, e sim uma combinação dentre os nove tipos possíveis de substratos. Um alinhamento entre dois ou três tipos deles já é suficiente para que as orquídeas consigam ter consagrado o seu “mundinho ideal”.

Confira os principais substratos para orquídeas:

 

Fibra de coco:

Processados e comercializados por empresas;

– Precisam ter passado por processos de dessalinização e esterilização, pois suas fibras salinas podem necrosar as raízes.

– Duração de 2 anos

– Usar puro ou com outro substrato;

– Secagem da rega em tempo moderado;

 

Musgo:

– Retirado dos leitos dos rios o que causa impacto ambiental e pode causar extinção;

– Utilizar somente de empresas que cultivam o musgo;

– Estimula o enraizamento, por esse motivo é muito usado em plantas novas que precisam de cuidados especiais

– Indicação é misturar com outros substratos para equilibrar a umidade evitando o apodrecimento da raíz;

– Secagem da rega em tempo moderado

 

Carvão vegetal:

– Proveniente da carbonização de madeira;

– Ótimo substrato para principalmente locais úmidos;

– Aerado o que facilita a drenagem da rega;

– Bactericida natural e repelente de pragas como lesma;

– Por ser excelente na drenagem é recomendado usá-lo acompanhado de outro substrato que retenha água;

– Precisa ser lavado uma vez por mês por ficar impregnado com o sal das adubações;

– Duração de 2 a 3 anos.

 

Casca de pinus:

– É o substrato mais usado;

– Mistura-se normalmente com outro para melhor aeração;

– Ele ajuda a manter umidade e adubação por um período de tempo;

– Precisa se deixado de molho e ir trocando sua água, até que fique cristalina, antes de utilizar. Possui tanino que é prejudicial para as raízes;

– Ao final do processo de limpeza da casca deixar de molho em água sanitária para matar fungos e bactérias, somente ai lavar e utilizar.

 

Casca de árvores:

– É um substrato que pode ser usado como vaso;

– Comumente utilizado dentro de cachepôs ou vasos de barro;

– Saiba antes de usar a quantidade de tanino da casca e se necessário faça a limpeza.

 

Escolha o substrato para orquídeas que fizer mais sentido para você e for mais fácil de encontrar.