Posts com a tag poda

6 cuidados básicos para cuidar bem da sua orquídea

É muito comum recebermos dúvidas sobre os cuidados básicos das orquídeas. Afinal, muita gente não tem o hábito de cuidar de plantas, mas depois de um aniversário ou até mesmo o dia das mães, por exemplo, é normal que as pessoas se vejam com uma planta nova para cuidar, e acabam precisando aprender, de forma simples e rápida, como cuidar de uma orquídea.

Pensando nisso, decidimos listar 6 cuidados básicos necessários para manter uma orquídea bonita e saudável. Imagine que, daqui a algum tempo, você vai receber novamente a visita de quem te deu a orquídea de presente. Seria muito gratificante mostrar que você cuidou bem da planta. Agora, imagine o contrário: se a planta definha, você corre o risco de pagar mico diante do convidado.

 

Por isso, confira os cuidados básicos para orquídeas em um guia simples e rápido:

 

1) Cuidados básicos com iluminação:

Muita gente comete o erro de colocar as orquídeas no sol. Mas quando entendemos que, na natureza, elas estão sempre abaixo das copas das árvores, podemos compreender que elas precisam estar em um local iluminado, porém sem luz solar direta. A Phalaenopsis também gosta luz artificial, desde que também haja iluminação indireta do sol.

 

 

2) Cuidados básicos com a rega:

Um dos grandes segredos para regar orquídeas é colocando 3 pedras de gelo no vaso, abaixo das folhas, uma vez por semana. Essa frequência pode ser um pouco maior no verão, e ser feita a cada quatro dias. O importante é que as pedras de gelo, além de manterem uma temperatura amena, gotejam a água e permitem uma absorção mais lenta, sem acumular água no vaso – isso seria mortal para elas! Caso não queira colocar gelo, você pode regar, mas sempre deixando a água escorrer, sem jamais acumular na parte de baixo das raízes.

 

3) Cuidados básicos com temperatura:

As orquídeas, especialmente as Phalaenopsis, gostam dos ambientes mais frescos e com boa ventilação. Aliás, elas são muito sensíveis ao sol direto e sequer conseguem se recuperar dos danos do sol: se for em excesso, as folhas vão sofrer queimaduras e cair.

 

4) Cuidados básicos com o corte das hastes:

Depois que as flores caem, é importante cortar as hastes que ficam secas. Caso não fiquem secas, não é necessário cortar – e provavelmente haverá uma nova florada. Você pode cortar a haste em sua base, deixando apenas 2 cm dela. Outra opção é cortar a haste logo acima da terceira gema (aquele “nó” que se forma) e com isso surgirá uma nova florada ou, talvez, uma nova muda.

5) Cuidados básicos para adubar as orquídeas:

Deve-se utilizar os adubos encontrados nas lojas especializadas com os nomes 10:10:10 ou 20:20:20. Isso significa que eles possuem as mesmas quantidades de nutrientes diferentes. Aplique o produto  uma vez por mês, e procure não adubar em época de floração.

6) Cuidados básicos com as raízes:

Quando as raízes estão bem hidratadas, elas apresentam uma coloração verde. Se estiverem brancas ou cinzentas, significa que precisam de água: se for o caso, coloque em uma bacia de água por dois minutos e depois retire, permitindo que a água escorra. Já as raízes cinzas e moles simbolizam excesso de rega. Muitas vezes, elas cheiram a mofo. O ideal é deixar sem rega nenhuma por cerca de 10 dias.

Hastes, cortar ou não cortar?

As flores caíram e agora?

O corte a uma distância de aproximadamente 2cm de sua base é sempre recomendado, desta forma a planta destinará sua força para as folhas e raízes.

Outras práticas podem ser adotadas seguindo uma boa observação  já que orquídeas normalmente mostram seus caminhos para as novas floradas:

Se a orquídea não puder dar flores novamente, naturalmente ressecará; se for possível uma nova florada, ela continuará firme até a próxima floração.

Se a haste estiver marrom, não nascerão mais brotos. Corte-a a 2 cm da base.

Se estiver verde, deixe-a até a próxima florada, pode brotar novamente ou então realize o corte na terceira gema (a parte saliente contada de baixo pra cima). Quando feito esse último procedimento uma nova floração ou novas mudas em hastes secundárias poderão nascer. Essas novas mudas são chamadas de Keikes e tem a possiblidade de receber novas floradas.

Para ver na prática como fazer a poda, acesse o canal de Kohji Nagatani.

http://sitiokolibri.com.brs://www.youtube.com/watch?v=dRFAnD6mCJo&feature=youtu.be

 

Iluminação e temperatura

Nunca deixe sua orquídea exposta ao sol. A Phalaenopsis gosta de local iluminado com luz do sol indireta, em ambientes internos com claridade e luz artificial. Gosta também de boa ventilação.

Para ter flores mais de uma vez ao ano, indicamos deixar a planta no local mais fresco do ambiente, com boa ventilação.

Sua florada sempre vem após períodos de frio.

Danos do calor

Normalmente as Phalaenopsis não se recuperam, são sensíveis ao sol direto. A exposição excessiva à luz direta do sol pode danificar as folhas, causando desidratação e queimaduras. Nessas condições, aparecerão manchas amarelas que ficarão brancas, caindo prematuramente.