3 pragas chatas que podem atacar sua Phalaenopsis – e como identificá-las!

A gente já falou aqui no site sobre as pragas. Afinal, elas são o terror dos orquidófilos e infelizmente podem atacar as orquídeas mais lindas do mundo sem fazer cerimônia! Por isso, decidimos investigar um pouco mais a respeito das “pragas chatas” e explicar um pouco mais sobre elas, dando destaque para como identificá-las!

 

Portanto, se você não quer ser surpreendido por pragas chatas nas suas Phalaenopsis, confira cada uma delas.

 

Pulgões

Também chamados de piolhos das plantas, os pulgões são insetos muito pequeninos que se instalam das plantas e se alimentam da seiva delas. Estes sim são parasitas, que além de atacar a planta e atrapalhar sua saúde, podem servir de vetores de doenças e vírus. O grande problema para identifica-los é que eles são realmente muito pequenos, e podem parecer apenas manchinhas inofensivas no começo!

O que observar: se você olhar de perto, vai ver que os pulgões têm perninhas parecidas com as de aranhas e carrapatos, e perceberá que eles deixam uma seiva branca e pegajosa de rastro.

Como atacar: entre os principais “venenos” contra os pulgões estão o óleo de neem, que é um inseticida natural, a receita caseira de fumo de rolo com sabão em pó (veja aqui!), e inseticidas para horticultura.

 

Ácaros

Ao contrário dos pulgões, os ácaros não são vistos a olho nu, e costumam ocorrer em plantas de interior, especialmente quando a casa tem muitos estofados e tapetes (que são o local principal de proliferação dessa “praga chata”).

O que observar: Os ácaros costumam deixas as plantas das orquídeas com manchas amarelas. É importante entender a diferença entre manchas de ácaros e o amarelamento de plantas devido ao excesso de luz: enquanto o excesso de luz deixa manchas uniformes e que geralmente começam pela beirada, os ácaros vão formar pequenas manchas circulares e bolinhas que se iniciam no meio da folha.

Como atacar: spray antiácaro de horticultura, água com sabão leve diluído, limpeza das plantas com pano e pano com álcool isopropílico são os principais meios de combater esses bichinhos. Mas faça cada uma das ações de uma vez, para não exagerar na dose (nada de sabão e álcool de uma vez!). Ah, e fazer aquela limpeza nos ácaros de toda a casa vai ajudar a evitar que eles voltem!

 

Cochonilhas

Elas são parecidas com os pulgões, porém geralmente menores! Elas podem variar o tipo, mas geralmente nem se parecem com “insetos” (diferente dos pulgões).

O que observar: A melhor forma de detectar a presença delas é ver se a flor está atraindo formigas: são as cochonilhas que as atraem! Muitas vezes, elas se parecem com um “açúcar” que encobre as folhas, mas há algumas que possuem uma carapaça, e que as protege de venenos e inseticidas.

Como atacar: Se você viu aquele “farelinho branco” na flor, saiba que não basta remover com as mãos, porque elas não sairão por completo. Usar cotonete para remover estes bichinhos indesejáveis é uma ótima forma de combater, mas o óleo de neem ou óleo mineral diluído (5ml para 1L de água) são as melhores armas.