Ele descobriu como as orquídeas podem mudar o mundo!

César Kawamura em ação da empresa. Foto das redes sociais da OHquídea

 

Na nossa procura por grandes histórias, descobrimos uma capaz de encantar qualquer pessoa que acredite nas pessoas e no poder da educação. É a história de Cesar Kawamura, criador do projeto OHquídea, que começou como uma iniciativa educacional e hoje é uma Startup. Hoje, o projeto atende empresas e instituições, nas quais realiza cursos e palestras sobre orquídeas. O objetivo é educar as pessoas e reconectá-las com o espaço público, plantando orquídeas em árvores e utilizando-as como instrumentos de mudança.

Mas como isso é feito? E como essa empresa foi criada? É o que vamos contar aqui!

 

O começo de tudo: uma trajetória de formação

Antes de entendermos sobre a história da OHquídea, é importante entender um pouco mais de como seu fundador, César Kawamura, chegou lá. O empresário conta que é filho de agricultores do interior de São Paulo, onde foi criado com “os pés e mãos na terra com frequência”. De seus pais, vieram valores como voluntariado, colaboração e compartilhamento. É por isso que o projeto OHquídea não deixa de ser a realização de uma vontade de retornar às origens e “dividir valores pessoais para o bem comum”, relata César.

Ao longo de sua trajetória, César trabalhou em outras áreas. “Atuei no mundo corporativo por duas décadas como responsável por gestão de projetos e equipes, familiarizado em disseminar informações e conceitos em busca de objetivos comuns”, conta. Foi em 2016 que começou a atuar como empreendedor com foco na educação formal, quando percebeu uma distância entre as expectativas das partes envolvidas. “Quem aprende tem como objetivo uma data específica, uma prova por exemplo. Mas quem ensina, busca desenvolver o ser humano e suas potencialidades”, relata. Foi isso que o fez se sentir frustrado e perceber essa mesma frustração nos outros professores.

 

Imagem de ação da OHquídea publicada nas redes sociais

Da dificuldade surgem as oportunidades

Kawamura conta que essa dificuldade começou a ser superada quando introduziu o tema “Cultivo de orquídeas” nas palestras que apresentava. “Falando sobre cuidados com orquídeas, podemos ilustrar o cuidado que entregamos às nossas crianças, equipes, empresas e círculos de amizade”, explica.

Foi o início do projeto que viria a ser criado. “Falando sobre cuidados com orquídeas, podemos ilustrar o cuidado que entregamos às nossas crianças, equipes, empresas e círculos de amizade”, explica. Ele vai além, e afirma que cuidar de orquídeas ajuda a trazer autoconhecimento. “Ao buscar o sucesso do cultivo, precisamos acima de tudo controlar nossa ansiedade e expectativas, senão o resultado é perda da planta, desmotivação e frustração. Neste ponto, muita gente desiste”, explica, ressaltando que o papel das palestras e apresentações é dar um gás de motivação para o cultivo de uma nova orquídea, o que se reflete na motivação das pessoas para muitas outras coisas da vida.

 

A criação do projeto

Como projeto, o OHquídea surgiu em maio de 2017, tornando-se uma Startup em janeiro de 2018. Desde o começo, a ideia era aproveitar o grande volume de plantas que perderam valor comercial (sem flores, que não foram vendidas) para montar mini orquidários onde são realizadas ações de educação ambiental, com workshops, aulas de cultivo, entre outros. “Ao final dos encontros, participantes ganham uma destas plantas para fixar em uma árvore, adotando-as”, completa Kawamura.

Com o crescimento das palestras, e após distribuir mais de 3 mil orquídeas nas atividades realizadas, o criador do projeto conta que se iniciou o desenvolvimento de funções tecnológicas para oferecer um impacto positivo ainda maior para os que plantam as orquídeas em árvores ou as recebem. É por isso que a iniciativa passou a ser uma Startup, ou seja, uma empresa relacionada à tecnologia!

 

Parcerias com empresas

Com a proposta da empresa, Kawamura conta que realizou atividades com mais de 40 instituições no último ano. “Tivemos apoio de algumas instituições de grande porte, sempre com bastante receptividade, pois o tema traz simpatia logo na apresentação, o que facilita abertura e transparência no relacionamento”, conta. As parcerias envolvem o uso do espaço dessas empresas para realização das ações, o que tende a atrair mais pessoas ou engajar sua atual carteira de clientes.

Ele também relata que em alguns momentos são realizados acordos de coleta de materiais em troca de dados estatísticos para Relatórios Anuais de Sustentabilidade. “Neste momento, seguimos estabelecendo processos como StartUp, buscamos parceiros nas duas pontas do negócio: varejistas, produtores e distribuidores de orquídeas como fonte de material educativo, e empresas interessadas em utilizar o potencial dessa demanda como canal de relacionamento através de identificação individualizada e distribuição de serviços”, completa.

Imagem: redes sociais da OHquídea

 

Cuidar de orquídeas: um sentimento que transforma

Questionado sobre o poder das orquídeas, Kawamura conta que as pessoas são atraídas por flores. “Esse é o público que queremos atingir. Pessoas que buscam bem-estar, qualidade de vida, autovalorização”, completa. E as ações realizadas costumam atuar até mesmo na ressignificação do espaço urbano, ou seja, em uma nova relação das pessoas com a cidade em que vivem. “Quando as pessoas se veem colaborando para melhorar a cidade, pelo embelezamento das árvores, descobrem que foi fácil realizar ações inesperadas, como voluntariado, engajamento e cidadania”, destaca o empresário. “O melhor exemplo foi dado pelos alunos cegos, que aprenderam muito mais que cultivar orquídeas nas árvores: descobriram que são capazes de fazer zeladoria de praças e parques, inclusive coletando lixo durante as visitas às suas orquídeas resgatadas. Sugiro uma visita ao bosque de orquídeas montado por eles no Parque Pelezão, na Lapa, em São Paulo”, relata.

Por fim, Kawamura conta o que o move a seguir neste projeto. “Conseguir despertar pessoas para uma realidade não percebida”, resume. “Nossa equipe acredita que o projeto tem grande potencial de transformar a sociedade. As orquídeas ganharam ainda mais importância, pois são a ferramenta que dá embasamento a tudo isso”, completa.

 

Sim, as orquídeas podem transformar o mundo, e este projeto que pudemos conhecer aqui mostra isso! Elas podem fazer com que as pessoas participem da cidade de maneira ativa. Mais do que embelezar o ambiente, são a ferramenta para unir as pessoas, o que por si só já é fundamental em uma sociedade tão desunida. “Buscamos uma sociedade madura o suficiente para colocar o bem comum acima do individualismo”, continua César Kawamura. “Um pouquinho por dia…Se estamos longe, hoje estamos mais perto do que ontem”, conclui.

 

 

*aqui no blog do Sitio Kolibri, vamos começar a contar mais histórias! Hoje foi o dia de conhecer sobre a história do César Kawamura e da OHquídea.

Se você tem uma história pessoal relacionada às orquídeas que vale a pena ser contada, entre em contato conosco enviando uma mensagem na nossa página no Facebook.